sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

PLANEJAMENTO DE ATIVIDADES PARA O BERÇÁRIO I e II



PLANEJAMENTO DE ATIVIDADES PARA O BERÇÁRIO II





OBS: Trabalhar os projetos de acordo com a faixa etária do berçário.


Expressividade
·         Realizar, na hora do banho, massagens, estimulação das palmas das mãos e dos pés, movimentos na água junto com a criança etc;
·         favorecer o desenvolvimento oral e corporal por meio da música, juntamente com as atividades de higiene, trocas, alimentação etc.;
·         proporcionar brincadeiras de roda, esconde/esconde e outras para permitir o desenvolvimento da oralidade, da espontaneidade e da socialização da criança;
·         utilizar brincadeiras com música para estimular as crianças na manutenção de boa postura (importante que o professor tome cuidados com sua própria postura, pois a criança age por imitação do adulto);
·         fazer uso de atividades no espelho, trabalhando a expressividade de cada um: as crianças farão caretas, mímicas, enfim, brincarão com a própria imagem;
·         desenvolver atividades relacionadas aos jogos de imitação e mímica.
·         Hora da rodinha com histórias, músicas, etc;
·         Brincadeiras ao ar livre
·         Brincadeiras livres e banho de sol (de acordo com as condições climáticas).
·         Passeio externo ou interno.
·         Brincadeiras coletivas ou opções individuais (organização de diferentes materiais para interação das crianças).

Equilíbrio e Coordenação

·        Brincar em rodinhas levando a criança a levantar-se, sentar-se, andar, deitar, correr etc.;
·        contar histórias e pedir que as crianças participem com gestos e mímicas, dramatizando-as;
·        organizar atividades onde a criança possa manipular grandes e pequenos objetos, pular obstáculos,  andar para frente e para trás, empurrar objetos, encaixar etc.;
·        proporcionar brincadeiras de estátua, fique onde está, corre-cotia, coelhinho na toca etc.;
·        propor brincadeiras diversas com corda elástica, bambolês, garrafas plásticas, colchões, bastões, bolas etc.
Artes Visuais
·        Levar a criança a imitar formas e figuras por meio da representação;
·        proporcionar exploração de marcas, gestos e texturas;
·        confeccionar tintas e massas com a participação das crianças para observação das propriedades, possibilidades de registro e transformações;
·        propor toques sobre diversos tipos de superfície como lixa, argila, papel liso, rugado etc.;
·        favorecer a articulação das sensações corporais e das marcas gráficas;
·        promover impressão de marcas em papel comprido ou no chão, para que as crianças caminhem e percebam suas marcas (claras/escuras);
·        imprimir com as crianças marcas gráficas utilizando o próprio corpo;


O Fazer Musical

·         Propiciar a escuta de diferentes sons produzidos por brinquedos sonoros;
·         levar a criança a ouvir e aprender canções, brincar de roda, realizar brinquedos rítmicos, jogos de mãos etc.;
·         estimular a produção de sons diversos (vozes de animais, ruídos, palmas, batidas de pés…);
·         favorecer a exploração de materiais sonoros de corda, percussão e sopro;
·         promover o contato com obras musicais diversas;
·         gravar as produções e interpretações das crianças;
·         realizar, durante o banho, brincadeiras com água e brinquedos sonoros alternando som e silêncio;
·         promover passeios pelo ambiente escolar para explorar os sons de cada espaço;
·         oferecer oportunidades de ouvir e observar os sons da natureza, em atividades externas;
·         confeccionar materiais sonoros, observando o nível de habilidade das crianças do berçário;
·         contar histórias enfatizando os sons existentes;
·         proporcionar a participação em jogos e brincadeiras cantadas;
·         promover a exploração livre dos sons graves e agudos (altura), forte ou fraco (intensidade), curtos ou longos (duração).
·         As melodias, as canções e acalantos têm um espaço cativo neste período. Não se deve esquecer das parlendas como brincadeiras para desenvolvimento oral.
·         Os acalantos e brincos são formas de brincar musical característico da primeira fase da vida da criança.

Exemplos:
Acalantos – Boi da cara-preta
Brilha, brilha estrelinha
Dorme, neném
Mamãe
Brincos – Serra, serra, serrador
Palminhas de guiné
Dedo mindinho
Upa, upa, cavalinho
Parlendas – Hoje é Domingo, pé de cachimbo…
Tempo perguntou ao tempo…
Doce perguntou ao doce…
Rei capitão, soldado, ladrão…
Lá em cima do piano…
Uni, dune, tê, salamê…

A criança e a linguagem
·         Conversar e cantar, freqüentemente, com o bebê para intensificar a relação
       afetiva e desenvolver a linguagem;
·         instigar a emissão de sons e a pronúncia de pequenas palavras carregadas de significado para o bebê;
·         incentivar a fala da criança nos diálogos, nas rodinhas etc.;
·         dialogar, na troca de roupas e na hora do banho, deixando a criança expressar verbalmente suas idéias e conhecimento do mundo com liberdade;
·         disponibilizar livros e revistas para folhear e nomear figuras, personagens, gravuras e reconhecer a linguagem escrita;
·         contar histórias e levar a criança a comentar;
·         proporcionar dramatizações com máscaras, fantoches, mímicas, imitar voz de personagens, animais;
·         propiciar brincadeiras de teatrinho usando roupas, sapatos, bolsas e outros objetos de adulto, deixando que as crianças criem diversas situações;
·         deixar que a criança se expresse livremente histórias, parlendas etc.;
·         estimular a interação com outras crianças e adultos;
·         deixar a criança transmitir recados simples;
·         levar a criança a falar o nome das pessoas e objetos que estão por perto, pronunciando corretamente as palavras;
·         trabalhar com projetos de acordo com a faixa etária;
·         propiciar jogos de percepção e observação em situações cotidianas;
·         proporcionar momento de conto de histórias em ambientes diversificados (debaixo de árvores, antes de dormir etc.);
·         direcionar a ação pedagógica de forma a criar situações de fala e compreensão da linguagem (gravar fala, entrevistas com as crianças etc.).
Natureza e Sociedade
·         Propiciar às crianças a observação da diversidade de pequenos animais presentes no ambiente (como a tartaruga Magali da nossa  creche);
·         ampliar o repertório histórico e cultural das crianças por meio de músicas, jogos e brincadeiras dos tempos de seus pais e avós;
·         oportunizar o manuseio e a exploração de diferentes tipos de objetos;
·         propiciar a exploração dos diversos órgãos sensoriais e suas funções como a visão, a audição, o tato, o olfato e o paladar para percepção do corpo e das interações que ele estabelece;
·         nomear com as crianças as partes do corpo e algumas funções de forma contextualizada, por meio de situações reais e cotidianas;
·         promover excursões pelos arredores da instituição para reconhecimento de animais, a fim de que as crianças percebam os sons produzidos, onde se abrigam, como se locomovem, como se alimentam etc.;
·         formular questões provocadoras para que as crianças manifestem suas hipóteses e encadeiem novas questões (Ex.: chuva caindo, relâmpagos, caule das plantas, tronco quebrado ou apodrecido etc.);
·         oportunizar informações em fontes variadas (livros, revistas, jornais, filmes etc.);
·         desenvolver projetos que integrem diversas dimensões do mundo social e natural.
Pensamento Lógico-Matemático
·         Oportunizar à criança brincadeiras como jogos de esconder ou de pega-pega onde um dos participantes deverá contar, enquanto espera os outros se posicionarem;
·         propor brincadeiras e cantigas que incluam diferentes formas de contagem (Ex.: a galinha do vizinho bota ovo amarelinho, bota um, bota dois… etc.);
·         propor situações que propiciem a troca de idéias sobre as representações;
·         propiciar a utilização de material massa de modelar de farinha de trigo com anilina;
·         construir diferentes circuitos de obstáculos com almofadas, colchonetes, pneus e panos por onde as crianças possam engatinhar ou andar;
·         possibilitar a representação do espaço numa outra dimensão (construir torres, pistas para carros e cidades, em blocos de madeira ou encaixe);
·         organizar PAINEL com pesos e medidas das crianças para que elas observem suas diferenças (comparar o tamanho de seus pés e depois olhar os números em seus sapatos);
·         oportunizar à criança audição de músicas do folclore brasileiro, de rimas infantis, envolvendo contagem e números utilizados como forma de aproximação com a seqüência numérica oral;
·         ORGANIZAR UM QUADRO DE ANIVERSARIANTES, contendo a data do aniversário e a idade de cada criança;
·         providenciar, para cada berço, objetos (brinquedos, argolas, móbiles) para que o bebê possa observar, tocar, tendo um despertar prazeroso.

Estimulação (IMPORTANTE)
A repetição e os elogios são muito importantes para que as crianças se sintam estimuladas a avançar na construção do seu conhecimento. Para isso, o educador pode utilizar atividades de estimulação como as seguintes:
·         levar a mão do nenê a acariciar o seu rosto e fazer o mesmo com sua mão no rosto do nenê;
·         carregar a criança nos braços, voltada para a frente, formando uma cadeira com seus próprios braços, ou então acomodá-la de bruços, pois assim ela terá uma maior amplitude visual;
·         fazer movimentos com objetos coloridos, que façam barulho, para que a criança ouça, observe e acompanhe;
·         pendurar objetos coloridos e sonoros (sem exagerar na quantidade) em posições diferentes e na altura que a criança possa alcançar (no início, ela só olhará para eles; mais tarde, tentará tocá-los);
·         acomodar o nenê no chão, de bruços, sobre um tapete ou cobertor, com vários objetos coloridos ou que façam barulho à sua frente; fazer um pequeno rolo com uma toalha e colocá-lo debaixo do peito do nenê, estimulando-o para que ele se mova em direção aos objetos;
·         oferecer a mamadeira para o bebê, ajudando-o a segurá-la com as duas mãos, em posição reclinada. Olhar sempre nos olhos dessa criança e conversar com ela;
·         procurar deixar o nenê entre 3 e 6 meses, quando acordado, em posição reclinada, apoiado em travesseiro e com suas próprias mãos colocadas à frente;
·         procurar tornar a hora do banho bem agradável, segurando o bebê firme, para que se sinta seguro. Fazer brincadeiras como bater as mãos e os pés na água, colocar objetos que fiquem boiando na banheira para chamar atenção do bebê etc.;
·         levar, sempre que possível, o bebê para passear; cantar para ele e mostrar-lhe coisas diferentes;
·         fazer a criança rolar de um lado para o outro, sempre mostrando algum objeto colorido que possa interessá-la;
·         deitar o nenê de costas; aproximar um chocalho de seus pés e fazê-lo dar chutes para movimentá-lo e produzir sons;
·         colocar o bebê em frente a um espelho durante algum tempo, chamando-lhe a atenção para que se olhe;
·         dar à criança um objeto pequeno, procurando fazê-la passar de uma à outra mão;
·         dar dois objetos pequenos ao bebê para que segure um em cada mão; tentar fazê-lo bater um no outro. Procure imitar o som produzido;
·         oferecer ao nenê objetos de vários tipos como: espuma, lixa, toalha, madeira, metal, borracha e outros. Se ele estranhar, apresentar o objeto em outra ocasião e em outro contexto. Oferecer também alimentos ou objetos variados, para que a criança possa sentir gostos e cheiros diferentes. Exemplo: açúcar, sal, limão, talco, perfume etc.;
·         permitir que a criança vá, gradativamente, pegando com as próprias mãos, pedaços de frutas, pão etc.; permitir, também, que ela mexa na comida e não se importe se ela se sujar (esta atividade é importante para que mais tarde a criança aprenda a comer sozinha);
·         acariciar, cantar e repetir sons ou gestos emitidos pela criança na hora da troca de fraldas ou do banho;
·         fazer, a partir dos sete meses, o nenê sentar-se sozinho, em posição de ioga, apoiando as mãos na frente do corpo;
·         brincar de “cuca-achou” ou “achou-sumiu” com o nenê, cobrindo o seu rosto com um pano, chamando a sua atenção e levando-o a retirar o pano. Se o nenê não entender a brincadeira, recomeçar tampando somente a metade do seu rosto. Depois, esconder o rosto do nenê e esperar que ele retire o pano. Esta brincadeira deve ser acompanhada de risos e gritos de alegria. Repetir esta brincadeira escondendo objetos de que a criança goste;
·         bater palmas, levantar os braços, fazer gestos para que a criança o acompanhe já que ela gosta de imitar gestos;
·         colocar o nenê de pé (depois dos oito meses) sobre suas próprias pernas, segurando-lhe as mãos; fazer com que ele impulsione seu corpinho para cima e para baixo, que se levante apoiando-se nas grades do berço, do quadrado, numa mesinha, chamando ou mostrando um brinquedo interessante;
·         colocar vários objetos num barbante e ensinar a criança a puxá-los (esta atividade deve ser feita com os nenês que já engatinham ou que já andem);
·         dar papel macio para que os bebês rasguem ou amassem com o cuidado para não colocar na boca.
Sugestões de Atividades da Rotina:
·         chegada e recepção das crianças;
·         organização da sala e dos materiais;
·         atividades didático-pedagógicas;
·         brincadeiras ao ar livre;
·         higiene e troca de roupa;
·         almoço;
·         higiene bucal;
·         repouso;
·         atividades alternativas para as crianças que vão acordando;
·         lanche;
·         atividades didático-pedagógicas;
·         brincadeiras ao ar livre;
·         higiene e troca de roupa;
·         jantar;
·         higiene bucal;
·         reorganização da sala;
·         saída.

OBS: A construção da rotina deve ser feita pela escola levando-se em conta os seguintes aspectos:
·         o cotidiano na creche está impregnado de vínculos e afetos nas atividades como comer, dormir, trocar fraldas, dar banhos etc.;
·         o educador deve diversificar ao máximo o lugar das atividades, oportunizando passeios, excursões, entrevistas que proporcionem  maior interação e diferentes leituras do mundo;
·         as propostas devem ser desafiadoras, significativas e prazerosas, possibilitando novas descobertas;
·         a diferenciação das realidades e a disponibilidade de materiais e espaços.

Bibliografia Recomendada
BALAGUER,I. Entrevista. Pátio Revista Pedagógica. Porto Alegre, n.7,  nov1998/jan1999.
BONDIOLI,A. Manual de educação infantil de 0 a 3 anos. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.
BRASIL,BRASÍLIA. LDB-Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.1996.
_______.CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Parecer 022/98. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil.. Brasília:,1998.
_______.Estatuto da criança e do adolescente. Lei 8.069/90.Rio de Janeiro:DP&A,2001.
_______.Referencial curricular nacional para a educação infantil. vols.I, II e III, Brasília: MEC-SEF,1998.
_______. Política  nacional  de  educação  infantil. Brasília. MEC/SEF, Coordenação de Educação Infantil.Brasília,1994.
EDWARDS,C. As cem linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.
FARIA,A.L.et alii. Educação Infantil Pós-LDB: rumos e desafios. São Paulo: Autores Associados, 1999.
FREINET,C. A pedagogia do bom senso. São Paulo: Martins Fontes, 1973.
GALVÃO,H.. Henri Wallon : uma  concepção  dialética  do  desenvolvimento  infantil. Petrópolis: Vozes. 2.ª ed., 1995.
GARCIA, R.L. Em defesa da educação infantil. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.
GARDNER, H. A criança pré-escolar: como pensa e como a escola pode ensiná-la. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.
LAROSSA, J. O enigma da infância: ou o que vai do impossível ao verdadeiro. In Pedagogia profana: danças, piruetas e mascaradas. Porto Alegre: Contra Bando, 1998.
PINTO,M. et alii. As crianças: contextos e identidades. Portugal: Universidade do Minho - Centro de Estudos da Criança,1997.
ROSEMBERG, F. et alii.. Creches e pré-escolas no hemisfério norte. São Paulo:Cortez -FCC,1994.
VYGOTSKY, L.  A  formação  social  da  mente : o  desenvolvimento  dos  processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
ZABALZA, M. Qualidade em educação infantil. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.
 

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PARA EDUCAÇÃO INFANTIL

 criado por ostras     21:18 — Arquivado em: AUTONOMIABERÇÁRIOCOMPETÊNCIAS E HABILIDAESCRECHEEDUCAÇÃO INFANTILJARDIM IIPLANEJAMENTO ANUAL — Tags: —
Estive no http://sugestoesescolaresdiversas.blogspot.com e encontrei este exemplo de como analisar as Expectativas de Aprendizagem dos alunos de Educação Infantil. Como sabemos, os alunos nesta faixa etária devem vivenciar experiências voltadas para o conhecimento e cuidado de si, do outro e do seu meio.
BERÇÁRIO I e BERÇÁRIO II (6 MESES A 1 ANO E MEIO)
LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
1
Distinguir a entonação do professor quando ele conta histórias e quando se comunica em situações cotidianas.
2
Acompanhar verbalmente contos de repetição a partir das narrações do professor.
3
Narrar trechos de histórias utilizando recursos expressivos próprios/ sugerido somente para o B II
4
Acompanhar a cantoria de parlendas, cantigas ou brincadeiras cantadas.
5
Expressar-se corporalmente, emitindo sonorizações, vocalizando com o apoio do professor.
6
Reconhecer e recitar parlendas e outros textos/ sugerido somente para o B II
7
Organizar seus balbucios em expressões que podem ser compreendidas por qualquer falante de sua língua.
8
Participar de situações coletivas de comunicação, ainda que não seja uma roda de conversa.
9
Expressar-se oralmente com ajuda do professor.
10
Expressar seus desejos, sentimentos por meio de gestos e balbucios.
11
Organizar oralmente as etapas de uma instrução, como seguir uma receita ou regras.
CONHECIMENTO MATEMÁTICO
12
Envolver os números em diferentes usos e funções.
13
Participar de experiências em que o número tenha a função de memória de quantidade.
14
Comparar quantidades com a ajuda do professor.
15
Reconhecer o espaço e sua representação a partir de diferentes pontos de referência.
16
Recitar a série numérica oralmente.
17
Noções de direção e posição, brincadeiras com o corpo.
Aprender a deslocar-se ou deslocar objetos no espaço.
Procurar objetos ou pessoas escondidas em diferentes lugares.
Manipular objetos de diferentes formatos e utilizar o conhecimento de suas propriedades para explorá- los com maior intencionalidade.
Manipular objetos variados de várias maneiras.
NATUREZA E SOCIEDADE
18
Explorar texturas e algumas propriedades simples dos materiais como, por exemplo, a temperatura e consistência.
19
Iniciar pequenas explorações com alimentos, objetos e cheiros que ampliam suas experiências com sensações visuais, auditivas, gustativas e olfativas.
20
Observar reações de causa e efeito se for estimuladas a agir sobre objetos para ver como eles reagem.
21
Reconhecer a si pelo próprio nome, assim como seus pais e amigos e os diferentes adultos que têm contato direto na escola.
LINGUAGEM MUSICAL
22
Perceber os sons do ambiente e a reagir a sons e músicas.
23
Reconhecer suas músicas preferidas acompanhando- as por meio de movimento corporal.
24
Produzir sons batendo, sacudindo, chacoalhando, objetos sonoros e instrumentos musicais diversos, usando o próprio corpo e a voz.
25
Explorar as qualidades sonoras (intensidade,duração, timbre,altura) de objetos e instrumentos musicais diversos, mesmo sem reconhecê-las convencionalmente.
26
Explorar as possibilidades expressivas da própria voz.
MOVIMENTO
27
Imitar os gestos, movimentos e expressões das outras, adultos ou personagens de histórias diversas que forem lidas, contadas ou dramatizadas pelo professor.
28
Utilizar recursos expressivos da voz( entonações) e da expressão corporal.
29
Vestir fantasias, adereços e máscaras, usar algum tipo de maquiagem e brincar de ser coisas diferentes, utilizando elementos da linguagem teatral.
30
Apreciar o teatro de bonecos e fantoches, teatro feito com sombras e as manifestações teatrais com animação de objetos.
EXPERIÊNCIAS DE EXPLORAÇÃO DA LINGUAGEM CORPORAL
31
Explorar com progressiva autonomia, presteza e confiança os diferentes desafios oferecidos pelo espaço para além do berço
32
Manipular e explorar diferentes objetos, utilizando-se dos movimentos básicos tais como: pegar, largar, etc.
33
Explorar desafios maiores oferecidos por meio de movimentos coordenados rudimentares e básicos.
34
Explorar e manipular objetos de diferentes características (formas, pesos, texturas, tamanhos, etc.).
35
Familializar-se com a própria imagem corporal.
36
Discriminar o que se refere ás sensações e percepções.
37
Imitar diferentes expressões faciais.
38
Participar de brincadeiras e danças.
39
Movimentar-se ritmicamente ao som de músicas de diferentes gêneros.
40
Interagir com um número diversificado de parceiros.
41
Imitar posturas corporais, gestos e falas dos parceiros, reproduzindo-os em outras situações.
DESENHO – ARTES VISUAIS
42
Observar outras crianças desenhando e marcar suportes com suas garatujas básicas.
43
Utilizar diferentes ferramentas, suportes e materiais e diferentes posições espaciais e corporais para desenhar.
44
Explorar diversas possibilidades de traçar garatujas.
ESPACIALIDADES
45
Explorar as relações de peso, tamanho, volume e direção das formas tridimensionais.
46
Explorar espaços bidimensionais e tridimensionais utilizando materiais e ferramentas diferentes e construir conhecimentos sobre o equilíbrio das formas, pesos e tamanhos dos diferentes objetos que compõem seus primeiros jogos.
47
Explorar suficientemente o espaço de seu entorno e movimentar-se nele autonomia e independência.
A EXPERIÊNCIA DA COR
48
Observar as transformações das cores nas misturas de composições não tóxicas, mais especificamente sucos, mingaus, gelatinas, etc.
49
Experimentar e articular visualmente as diferentes relações de claro e escuro na natureza e nos meios artificiais, como a pintura, a fotografia, o cinema, etc.
50
Usar diferentes materiais e ferramentas na exploração de objetos e fenômenos que envolvam a ocorrência das cores.
51
Explorar massas de cor e alterar sua aparência ou sensação tátil.
A CURIOSIDADE E A CRIATIVIDADE VISUAL
52
Observar e explorar os ambientes internos e externos de seu entorno onde podem ter acesso a diferentes manifestações no campo visual.
53
No contato com um ambiente visual voltado ao desenvolvimento de sua criatividade, as crianças podem reconhecer sua marca gráfica entre as produções de outras crianças.
54
Apontar sua produção entre as expostas na sala ou na roda de observação das produções do grupo.
EXPERIÊNCIAS VOLTADAS AO CONHECIMENTO E CUIDADO DE SI, DO OUTRO, DO AMBIENTE
55
Reconhecer as pessoas que lhe cuidam e a localizar-se no ambiente.
56
Interagir com outras pessoas em situações variadas.
57
Compreender e responder a entonações de voz, expressões faciais e corporais.
58
Aprender a lidar com seus sentimentos ajudados pelo professor.
59
Valorizar sobre a importância do outro.
60
Desenvolver o sentimento de bem estar, vestir-se, pentear-se, comer e higiene.
CUIDAR DE SI
61
Apropriar-se de hábitos regulares de higiene pessoal.
62
Usar corretamente os materiais necessários para sua higiene.
63
Perceber a vontade de ir ao banheiro e controle de suas necessidades fisiológicas.
64
Executar movimentos colaborativos ao vestir-se ou desnudar- se.
65
Comer sem ajuda, usar talheres adequadamente e conversar com colegas na mesa.
66
Valorizar o contato com a natureza
67
Reconhecer situações de perigo e tom
3ar precauções para evitá-las
68
Explorar espaços e praticar ações físicas.
69
Identificar produtos que não devem ser ingeridos.
APRENDER A RELACIONAR-SE
70
Brincar com os colegas e com eles criar um mundo de fantasias.
71
Partilhar jogos de regras ou brincadeiras tradicionais.
72
Fazer amigos, negociar significados e decisões.
73
Partilhar sentimentos e combater preconceitos.
74
Internalizar regras para conviver em grupo.
75
Saber cooperar em diferentes tarefas.
76
Conhecer suas limitações e possibilidades
77
Perceber que agressões podem provocar danos ou dor em outra criança.
78
Desenvolver atitudes de solidariedade em relação aos parceiros.
79
Partilhar com outras crianças conhecimentos e a identidade do grupo.
SABER DE SI
80
Aprender a familializar-se com a própria imagem.
81
Expressar- se corporalmente e verbalmente.
82
Reconhecer sensações produzidas por diferentes estados fisiológicos e comunicar ao professor.
83
Solicitar aconchego em situações cotidianas.
84
Conhecer seus recursos e limitações pessoais em determinadas situações
85
Identificar elementos que lhe provocam medo e buscar ajuda para superá- lo.
86
Reconhecer alguns elementos da sua identidade cultural, regional e familiar.
CUIDAR DO AMBIENTE
87
Guardar brinquedos e materiais nos devidos lugares depois de utilizá-los nas atividades.
88
Cuidar do entorno próximo e ter iniciativa de limpar o que está sujo.
89
Saber usar a água e energia elétrica sem desperdiçá-la.
90
Adquirir noções de cuidados e riscos ambientais.
EXPERIÊNCIA DE BRINCAR E IMAGINAR
91
Aprender a brincar com as professoras de esconder.
92
Procurar e achar objetos que forem escondidos.
93
Aprender a encaixar peças e empilhar cubos.
94
Participar com os colegas de brincadeiras de roda.
95
Participar de cirandas e brincadeiras de roda, cantando e fazendo gestos.
96
Reproduzir situações cotidianas no faz- de- conta mediado por objetos e indumentárias.
97
Aprender a brincar com marionetes reproduzindo falas simples de personagens que memorizaram ou que inventaram.
98
Construir com o auxílio do professor brinquedos de sucatas.
99
Bater com as mãos sobre uma superfície, entrar e sair de espaços pequenos.
100
Imitar gestos e cantos do professor e dos colegas.
101
Usar objetos de um modo inusitado e em substituição de outros
EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL
PRÉ FASE I E PRÉ FASE II (ANTIGO JARDIM I E JARDIM II)
LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
1
Identificar a escrita do próprio nome.
2
Reconhecer e nomear as letras de seu nome.
3
Diferenciar a narrativa oral e a leitura de histórias.
4
Reconhecer a semelhança gráfica entre inicial de seu nome e as demais dos seus colegas que também possuem a mesma letra.
5
Arriscar escrever o nome nas situações em que se faz necessário.
6
Reapresentar contos de repetição apoiadas no livro.
8
Identificar parlendas, quadrinhas, adivinhas e outros textos de tradição oral apresentados pelo professor.
9
Reconhecer e utilizar com mais freqüência textos com convites, a agenda do dia, comunicados e listas.
10
Localizar palavras num texto que já sabem de memória.
12
Conquistar a escrita do nome próprio com total autonomia.
13
Ler e escrever os nomes dos colegas, ainda que não convencionalmente.
14
Escutar a leitura de histórias e emitir comentários pessoais e opinativos sobre o texto lido.
15
Conhecer amplo repertório de contos desde os tradicionais de fadas, até os populares brasileiros e de outras culturas.
16
Manifestar oralmente suas preferências literárias e argumentar.
17
Acompanhar a leitura de histórias feita pelo professor.
18
Reconhecer e usar rimas em suas brincadeiras, espontaneamente, acionando os textos da tradição oral de memória, ou identificando e acompanhando a leitura do professor.
19
Reconhecer repertório de contos de repetição lidos pelo professor.
20
Acompanhar oralmente passagens das histórias de repetição com apoio de imagens.
21
Conhecer os diferentes usos dos livros.
22
Utilizar elementos da linguagem que se escreve no reconto de narrativas.
23
Explicar fatos e fenômenos sociais.
24
Manifestar opiniões concordar ou discordar da opinião dos outros.
25
Participar de espaços de conversa coletiva, apoiando-se não apenas na fala completar do professor, mas também em sua memória e em seus próprios recursos expressivos.
26
Escutar atentamente o que os colegas falam em uma roda de conversa.
27
Relatar fatos que compõem episódios cotidianos.
28
Argumentar a respeito de um assunto sobre o qual o grupo conversa.
29
Formalizar oralmente instruções específicas: regras de jogos, receitas, procedimentos específicos, etc.
30
Brincar com as palavras e letras do alfabeto.
31
Produzir seus próprios textos( bilhetes, listas, etc.) ainda que não convencionalmente.
32
Usar a escrita para seguir instruções ou instruir.
Utilizar conhecimentos sobre o sistema para localizar um nome específico numa lista de palavras do mesmo campo semântico.
33
Diferenciar publicações tais como: jornais, cartazes, folhetos, textos publicitários.
34
Fazer uso de procedimentos básicos com leitura de um livro, virar páginas sucessivamente, etc.
Explorar e reconhecer as letras do alfabeto em várias situações comunicativas e textuais.
MATEMÁTICA
35
Explorar as notações numéricas em diferentes contextos.
36
Enriquecer suas brincadeiras de faz-de-conta com materiais que convidem a pensar sobre os números.
37
Deslocar a si ou objetos no espaço.
38
Explorar o espaço com maior intencionalidade.
39
Participar de brincadeiras cujo desafio seja definir trajetos a partir de pontos de partida e de chegada.
40
Ordenar diferentes objetos da mesma classe.
41
Identificar a passagem do tempo apoiadas no calendário.
42
Identificar notas e moedas do sistema monetário.
43
Escrever números que ainda não aprenderam a escrever de memória.
44
Separar os objetos contados dos não contados.
45
Sincronizar gesto e o recitado da série numérica sem pular os objetos
46
Identificar algumas figuras geométricas.
47
Saber dizer o número sucessor e antecessor
48
Estabelecer critérios para comparar e ordenar.
Desenvolver noção de quantidade e sua representação numérica.
NATUREZA E SOCIEDADE
49
Conhecer o próprio corpo, nomear algumas partes do mesmo e observar seu crescimento.
50
Comparar e entender as diferenças entre meninos e meninas e entre os próprios meninos e entre as meninas.
51
Estabelecer relações de causa- efeito das mudanças observadas em elementos da natureza.
52
Perceber a complexidade e diversidade das relações humanas e do meio ambiente e ampliar sua capacidade de observação.
53
Observar e significar organizações sociais, hábitos e culturas.
54
Relacionar algumas semelhanças e diferenças com as formas de organização de outras culturas e as formas de adaptação de alguns seres vivos ao meio em que vivem. *
55
Observar fenômenos e elementos da natureza presentes no dia- a- dia.
56
Observar e perceber algumas características do ambiente ao seu entorno.
57
Participar de atividades que envolvam processos de culinária ou confecção de objetos.
58
Estabelecer algumas relações entre o modo de vida característico de seu próprio grupo social e de outros grupos.
59
Conhecer costumes e brincadeiras de outras épocas.
60
Perceber diferenças de forma, cor e gosto.
61
Aprender sobre a transformação de alguns alimentos ou elementos a serem misturados.
62
Considerar o efeito da força exercida sobre um material pela participação em desafios propostos pelo professor.
63
Criar explicações para fenômenos e elementos da natureza presentes no seu dia-a- dia.
64
Observar as construções do lugar onde vive, o local de onde vem a água que consomem.
65
Preservar a natureza.
LINGUAGEM MUSICAL
66
Reconhecer as qualidades sonoras de determinados objetos sonoros e instrumentos musicais.
67
Explorar diferentes maneiras de produzir sons com o próprio corpo.
68
Ampliar seu repertório de músicas e canções, brincadeiras de roda, jogos musicais, parlendas, etc.
69
Manifestar preferências por algumas músicas e canções.
70
Reconhecer o som e saber se possível o nome de alguns instrumentos musicais.
71
Construir alguns instrumentos musicais.
72
Acompanhar a narrativa de histórias usando objetos sonoros e instrumentos musicais.
73
Sonorizar histórias, desenhar o que ouvem.
MOVIMENTO
74
Explorar os diferentes desafios oferecidos pelo espaço por meio de movimentos coordenados básicos.
75
Explorar e orientar-se corporalmente com relação a: em frente, atrás, no alto, em cima, etc.
76
Usar os movimentos básicos de pegar, lançar, encaixar, empilhar, etc.
77
Ter presteza e autonomia na manipulação e exploração de diferentes objetos.
78
Apropriar-se da própria imagem corporal.
79
Discriminar e nomear partes do próprio corpo e do outro.
80
Controlar gradualmente o próprio movimento, ajustando suas habilidades ás diferentes situações das quais participa.
81
Conhecer as potencialidades e limites do próprio corpo.
82
Desenvolver uma atitude positiva com relação a seu corpo e a do outro, assim como prazer ao movimentar-se.
83
Ampliar a consciência corporal em posturas e em movimentos.
84
Nomear as características e funções das diferentes partes do corpo e do outro.
85
Expressar pelo movimento a interação com diferentes parceiros usando gestos, expressões faciais e movimentos corporais, de modo a comunicar-se intencionalmente.
86
Assumir determinadas posturas corporais.
87
Participar de danças de diferentes gêneros e outras expressões da cultura corporal.
88
Dançar ao som de músicas de diferentes gêneros, imitando e coordenando movimentos.
89
Apreciar apresentações de danças de diferentes gêneros e outras expressões da cultura corporal.
90*
Explorar as possibilidades de se expressar, se comunicar, interagir intencionalmente com diferentes parceiros pelo movimento.
91
Criar e reproduzir coreografias individualmente e em grupo.
92
Descrever de como será feito um movimento.
93
Criar um sistema de registro para movimentos, utilizando-o na realização de seqüências de movimentos.
94
Avaliar e interpretar apresentações de dança de diferentes gêneros e outras expressões da cultura corporal, de adultos amadores e profissionais.
95
Criar brincadeiras corporais a partir de repertório apreendido.
96
Resolver problemas ocorridos em um jogo discutindo regras
97
Improvisar situações e personagens usando bonecos, brinquedos e objetos.
ARTES VISUAIS
98
Aprender a fazer contato, observar e interagir com os processos de produção das demais crianças, incluindo as de outras faixas etárias.
99
Ter a oportunidade de contato com a arte através de vídeos livros
100
Usar várias possibilidades de organizar e de classificar seu próprio desenho.
Manipular objetos de diferentes características e propriedades.
Valorizar as produções próprias e alheias.
Conhecer as cores destacando as primárias.
EXPERIÊNCIAS DE BRINCAR E IMAGINAR
101
Ter como experiência a comunicação com os companheiros utilizando- se de sons musicais ou não.
102
Brincar com a sonoridade de palavras, com variações de um gesto, ou de uma postura corporal.
103
Cantar e fazer gestos esperados ao participar de cirandas e brincadeiras de roda.
104
Montar quebra cabeça com ajuda e explicar a um ou mais colegas como se participa de um jogo de regra usando suas palavras e sua forma de entender o jogo e seu funcionamento.
105
Dramatizar um enredo usando bonecos como atores.
106
Dizer aos colegas ou ao professor quais devem ser os personagens, objetos e adereços necessários ao faz-de- conta.
107
Recontar o enredo de um faz – de - conta que realizou com um colega.
108
Brincar de cantar, dançar, desenhar, escrever, jogar futebol, etc.
109
Brincar com marionetes, com destreza na execução e mais prazer em sua execução.
110
Construir brinquedos com sucatas sem necessariamente usar um modelo.
Imitar comportamentos de escritor em suas brincadeiras simbólicas.


PLANEJAMENTO BERÇÁRIO

 criado por ostras     22:07 — Arquivado em: Sem categoria —

Objetivos: Oportunizar a construção da identidade e cooperação, estimular a imaginação criativa, estabelecer contato com seus pares e explorar situações de interação social.
SEGUNDA-FEIRA
Rodinha
  • Música - O sapo não lava o pé (A professora canta a música junto com a criança)
  • Histórinha com livro de pano para bebês (à escolha)
Atividade pedagógica
  • Brincar de esconde-esconde com lençol
TERÇA-FEIRA
Rodinha
  • Música – Fui no Itororó
  • Histórinha com fantoches (à escolha)
Atividade pedagógica
  • Brincar de rolar no colchonete
QUARTA-FEIRA
Rodinha
  • Música – A canoa virou
  • Ouvir músicas em CD (à escolha)
Atividade pedagógica
  • Brincar de jogar bolas
QUINTA-FEIRA
Rodinha
  • Música – Ciranda cirandinha
  • Ver vídeo (à escolha)
Atividade pedagógica
  • Brincar de jogar bolas
SEXTA-FEIRA
Rodinha
  • Música – Samba Lelê
  • Histórinha com dedoches (à escolha)
Atividade pedagógica
  • Brincar de montar blocos coloridos
OBS: Ao fazer seu planejamento, não esqueça a idade da criança, nete caso, 4 meses em diante (Berçário I). Estes bebês só conseguem a nossa atenção por pouco tempo. Por isso, aproveite bem a oportunidade e planeje as atividades por no máximo 15 minutos.
Também, podemos aproveitar para enfatizar os nomes das crianças nas músicas. Ao praticar as atividades, também podemos dar ênfase nas cores dos objetos (Jõao, dê-me a bola vermelha). Assim, os bebês vão se familiarizando com cores, objetos e formas. A brincadeira livre também é uma atividade lúdica, nela a professora pode observar a criança e seu comportamento com seus pares.
Espero que ajudem as colegas que estão com crianças nesta faixa etária. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário